ANDROCLINIC
INFORMAÇÃO SOBRE SAÚDE MASCULINA

Terapia sexual

A terapia sexual comportamental procura atingir 3 objectivos principais:

- Proporcionar uma abordagem estruturada, com pequenos objectivos intermédios, permitindo aos casais recons-truírem progressivamente o seu relacionamento sexual;

- Orientar o casal a identificar os factores que estão a manter a disfunção sexual, sublinhando os comportamentos dos parceiros e a interacção desenvolvida;

- Proporcionar ao casal, através de técnicas específicas, a aquisição de estratégias para lidar com os problemas.

No homem sem parceira sexual, os procedimentos são os mesmos, embora a terapêutica seja, em geral, mais prolongada e de prognóstico mais reservado.

Ejaculação retardada

Ejaculação retardada é a dificuldade em ejacular, apesar de haver erecção e o homem se sentir excitado. Se a ejaculação não é mesmo conseguida, o problema denomina-se anejaculação.

Tendencialmente a dificuldade em ejacular só se verifica durante o coito, sendo a possível na masturbação e com outros tipos de estimu-lação. A severidade da ejaculação retardada varia substancialmente, desde ligeira e ocasional a uma inibição intensa que faz com que a ejaculação nunca tenha sido experienciada.

A ejaculação retardada pode ser primária e secundária. Na primária o problema é notado desde as primeiras experiências sexuais; na ejaculação secundária a difilculdade ejaculatória é vivenciada depois de um periodo, mais ou menos longo, sem problemas orgásmicos.

O diagnóstico de ejaculação retardada centra-se essencialmente na história clínica e na exploração física. Mas devem ser avaliados factores como a idade dos doentes, o tipo de disfunção, a intensidade das queixas e sua repercussão, quer a nível sexual, quer a nível psicológico. Quase sempre a causa será psicológica, muitas vezes existem fatores neurológicos, cirúrgicos ou medicamentosos,

Existem dois tipos de terapêutica: a comportamental e farmacológica. Quando as causas são predominantemente de origem psicológica, a terapêutica deve ser comportamental. Quando esta falha ou não se mostra apropriada, deve-se recorrer à terapêutica farmacológica. O tratamento farmacológico baseia-se principalmente nos simpaticomiméticos, tais como o sulfato de efredina (25-50 mg, 4 vezes/dia) e a fenilpropanolamina (50-75 mg, 2 vezes/dia).

DISFUNÇÕES SEXUAIS

A ejaculação retardada pode constituir uma fonte de prazer acrescida, especialmente para a mulher, por permitir períodos prolongados de coito. O homem poderá mesmo apreciar o seu duradouro “poder de actuação”. Porém, por vezes a parceira apercebe-se que a situação não é normal, e as coisas mudam de figura: a mulher poderá sentir que o homem já não a acha atraente, que não está a apreciar o acto sexual ou que está a conter o orgasmo como sinal de egoísmo.